Qual a diferença entre exportação e importação e quais suas vantagens?

0

Quando uma empresa decide aumentar seu faturamento, mas, o comércio nacional é limitado, como fazer para realizar esse aumento esperado?

A empresa recorre ao mercado internacional e passa a vender seus produtos em outros países, aumentando o número de clientes, de vendas e, consequentemente, seu faturamento. Essa atividade é chamada exportação, quando uma empresa exportadora vende seus produtos para outros países.

Mas, se uma empresa compra produtos de outros países? Se a matéria prima para fabricação não é encontrada no país de origem da empresa e esta compra de outro país, ela está realizando uma importação.

O QUE É EXPORTAÇÃO

É o ato de exportar. Quando uma pessoa ou empresa vende ou doa produtos para outros países. No exemplo mostrado no início deste texto, menciono uma empresa que busca aumentar seu faturamento através da venda internacional.

Método utilizado por muito empreendedores atualmente para conseguir expandir seu mercado, principalmente em momentos onde a economia nacional passa por dificuldades.

Para realizar uma exportação é necessário conhecer todo o processo legal por trás desta atividade como documentação, taxas, entre outros. Mas, antes de tudo, possuir o mercado internacional que lhe garanta a possibilidade de vender é a forma certa de iniciar exportações.

O QUE É IMPORTAÇÃO

No ramo da construção civil, construir casas e edifícios requerem um material indispensável, o ferro. Muitas empresas do ramo optam por importar o ferro de outros países, como da China, por exemplo, por ser mais barato do que os vendido em território nacional.

Entre outras palavras, trata-se do ato de importar, comprar, contratar, adquirir produtos, serviços, de outros países. Assim como realizar uma exportação, importar requer que a empresa ou pessoa tenha algum conhecimento do modo legal de se realizar esta atividade.

São necessários documentos, pagamentos de impostos como o ICMS, autorização, etc. Os meios legais para a realização desta atividade podem ser complicados para uma pessoa física realizar, por isso, a importação por meio de terceirizados (lojas, empresas especializadas) é a principal forma que muitos varejistas utilizam.

De um modo técnico, o produto só é considerado importado após todos os documentos estarem prontos e os tributos pagos.

OS PROCESSOS DA IMPORTAÇÃO

Para uma importação bem sucedida e dentro das normas legais, a atividade passa por três fases que são relativamente simples de serem entendidas: administrativa, cambial e fiscal.

  • Fase administrativa: Cada tipo de produto importado necessita de um tipo de licenciamento. Antes da importação ser efetivada, é aplicado procedimentos segundo indicados pelos órgãos do governo. Esses processos variam segundo o tipo de operação e o tipo de produto.
  • Fase fiscal: Aqui é feita a verificação dos dados informados sobre o produto importado pelo importador, bem como da documentação exigida, sendo a fase em que ocorre o desembaraço aduaneiro. Inclui também o recolhimento dos valores tributários da importação.
  • Fase Cambial: Trata-se do pagamento ao exportador ou a compra da moeda do país para pagamentos pelos produtos importados.

OS PROCESSOS DA EXPORTAÇÃO

Existem quatro formas de se realizar uma exportação. Desde que, claro, o processo para executar esta atividade seja de conhecimento do importador.

  • Produtor/exportador (indireta): Neste tipo de exportação, o produtor atua apenas como o vendedor do seu produto para a empresa que os compra com a intenção de exporta-lo.
  • Produtor e exportador (direta): Na exportação direta, o produtor é o próprio exportador e terá de lidar com as normas legais para realizá-la.
  • Perfeito: É quando a exportadora do produto não utiliza intermediário para introduzir o produto no mercado de destino.
  • Imperfeito: Quando as empresas exportadoras pretendem realizar a internacionalização dos seus produtos, mas, não possuem a experiência para realizar por conta própria.

AS VANTAGENS DE UMA E DE OUTRA

Porque exportar e importar oferecem mais vantagens do que apenas agir no mercado nacional do seu país? Muitos países, como o Brasil, por exemplo, possuem um mercado nacional caro, onde imperam seus próprios tributos e juros sobre os produtos comercializados.

Mas, quando o produto é importado de outro país, como a China, onde quase tudo é mais barato, a empresa consegue lucrar mais e pagar menos comprando um produto com a mesma qualidade dos produzidos e que estão em circulação no país.

Em outras palavras, a maioria dos produtos fabricados e comercializados no mesmo país tende a ser mais caro. No caso das exportações, a vantagem é simplesmente a oportunidade de uma empresa se expandir seu mercado, se estendendo de modo internacional, adquirindo novos compradores e aumentando seu faturamento.

Fábricas brasileiras veem na importação uma forma de economia sem perder a qualidade. Peças manufaturadas (produtos padronizados), placas de circuitos e eletrônicos, peças de automotores e tratores são exemplos de importações em grande quantidade realizadas por empresas brasileiras.

Essa ação não gera apenas vantagens para as fábricas, mas, também afetam o bolso do comprador que consegue adquirir os produtos por um valor mais baixo.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.